Falamos de obesidade quando uma pessoa acumula gordura corporal em excesso. Para além de uma questão estética, a obesidade envolve um problema de saúde, ao ser a origem de uma multitude de doenças. De facto, a medicina considera-a como uma doença crónica cuja incidência, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde, está a aumentar em todo o mundo e continuará a aumentar nos próximos anos.

Entre as doenças que derivam da obesidade está a diabetes tipo 2, que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue. Com o passar do tempo, este incremento de açúcar pode afetar diversos órgãos, provocando patologias de tipo cardiovascular e neurológico. Com o aumento do número de pessoas que sofre de obesidade, também aumenta o número de pessoas que sofre de diabetes tipo 2.

 

Duas doenças associadas

Dada a relação entre ambas as doenças, cada vez são mais as pessoas que, como consequência da sua obesidade, acabam por sofrer da diabetes tipo 2 e vice-versa. Por este motivo, desde há alguns anos, no âmbito sanitário começou-se a utilizar um novo termo para denominar a coincidência de ambas as doenças na mesma pessoa: Diabesidade.

A forma de fazer face à Diabesidade baseia-se em dois objetivos principais:

1.- Perder peso, sobretudo reduzindo o perímetro da cintura (PC).

2.- Melhorar os níveis de açúcar no sangue.

Para alcançar ambos objetivos é necessário mudar o estilo de vida. Isto significa iniciar uma dieta adequada e aumentar a prática de atividade física, mas com o apoio de um psicólogo que ajude a reforçar a confiança nas suas possibilidades de enfrentar este desafio com sucesso.

Por outro lado, dado que tanto a obesidade como a diabetes são doenças crónicas que necessitam de controlo médico, o indivíduo com Diabesidade também deve contar com o apoio de um médico especializado. Só ele é a pessoa indicada para estabelecer a forma mais adequada para reduzir o peso e melhorar os níveis de açúcar no sangue.